Tel.: (85) 3013-8372

Cirurgias Plásticas em Fortaleza, Natal e São Luís Tel.: (85) 3013-8372

SIGA E FIQUE INFORMADO

  
  
  

Cirurgia de Redução de Mama – Como Funciona e Dicas

peito

Também conhecida como mamoplastia, a cirurgia de redução de mama consiste na diminuição do volume e peso dos seios. Mulheres com mamas muito grandes podem sofrer um desconforto estético e físico, além de muitas vezes se tornarem alvo de olhares e comentários inapropriados.

Embora muitas mulheres sofram com dores nas costas e desvios posturais devido ao peso excessivo de suas mamas, a grande maioria procura a cirurgia de redução de mama por razões estéticas.

Muitas mulheres com seios desproporcionais acabam sofrendo com sua autoestima, evitando muitas vezes atividades ou situações em que se sentirão expostas. Por esse motivo, grande parte das mulheres que realizaram a mamoplastia se dizem satisfeitas com o procedimento, que as ajudou a melhorar sua imagem corporal. Segundo os cirurgiões plásticos, esse número seria superior a 90% das pacientes operadas.

Como se trata de um procedimento altamente invasivo, é importante que você saiba antes como funciona a cirurgia de redução de mama e os riscos a ela associados.

Indicações para a cirurgia de redução de mama
Além de causarem um grande desconforto estético, seios muitos grandes podem também levar a:
Dores nas costas;
Dores no pescoço ou nos ombros;
Alteração na postura – para disfarçar o tamanho das mamas, muitas mulheres acabam se curvando à frente;
Dificuldade para realizar atividades físicas;
Suor excessivo e infecções na pele sob os seios;
Excesso de atrito entre as mamas, causando irritação na pele.
Algumas mulheres também podem apresentar um seio com tamanho diferente do outro, optando por fazer a cirurgia para deixá-los com o mesmo volume e proporcionais ao restante do corpo.
A quantidade de mama retirada irá depender do tamanho dos seios, dimensão do tórax e objetivo final da paciente (o tamanho final da mama deverá ser proporcional à sua estrutura física).
Qual a idade mais indicada para realizar a mamoplastia?
O ideal é que se aguarde até que as mamas estejam completamente desenvolvidas, o que ocorre por volta dos 18 anos.
Como a mamoplastia pode dificultar ou mesmo impossibilitar a amamentação no futuro, considere fazer a cirurgia somente após ter tido filhos. Além disso, a amamentação pode alterar o formato de seios já operados, diminuindo os efeitos da cirurgia.
Como funciona a cirurgia de redução de mama?
Uma das cirurgias plásticas mais realizadas no Brasil, a cirurgia de redução de mama consiste na retirada do excesso de gordura, pele e tecido glandular dos seios, a fim de deixá-los proporcionais à estrutura física da mulher.

Antes da cirurgia, o médico irá solicitar exames de mamografia, ultrassonografia mamária, além dos tradicionais exames laboratoriais completos (sangue, urina). Um exame cardiológico e de coagulação também devem fazer parte da avaliação pré-cirúrgica.
Cuidados pré-operatórios
Antes da cirurgia, a paciente deverá permanecer em jejum por um período de 8 ou 12 horas, de acordo com a indicação médica. Além disso, como o cigarro aumenta o risco de trombose nos membros inferiores e necrose dos tecidos, sua utilização deverá ser suspensa por pelo menos 30 dias antes da cirurgia.
Comunique seu médico sobre a utilização de medicamentos, sobretudo diuréticos e anticoagulantes.

Anestesia
Os tipos mais utilizados de anestesia são a geral ou peridural com sedação. A decisão sobre a melhor opção para o seu caso deverá ser feita entre você, o médico cirurgião e o anestesista.
Técnica
Existem técnicas distintas de cirurgia de redução de mama, mas a mais utilizada é aquela que utiliza uma incisão em formato de “T” invertido. A incisão é feita ao redor da aréola e desce até o sulco mamário, onde corre horizontalmente.
Caso a mama seja muito grande, pode haver a retirada do mamilo e da aréola, que serão posteriormente recolocados. A mama será remodelada para ficar com o formato de cone, que é a forma natural dos seios.
Há casos em que o cirurgião opta pela instalação de drenos cirúrgicos no local, que deverão ser mantidos por 48 horas.
Duração
A cirurgia de redução da mama pode durar de três a quatro horas, variando de acordo com a técnica utilizada e as particularidades de cada caso. Normalmente, a paciente permanece por 24 no hospital, a fim de acompanhar eventuais complicações.
É necessário que haja alguém para levá-la para casa, já que os movimentos com os braços estarão limitados.

Pós-cirúrgico
Em alguns casos de redução dos seios, o médico poderá prescrever antibióticos para antes e depois da cirurgia, a fim de reduzir os riscos de infecção no local da incisão. Analgésicos também podem ser indicados, embora o desconforto seja mais comum somente nos dois ou três primeiros dias após o procedimento.
A paciente sai do hospital com curativos e usando um sutiã compressivo cirúrgico, que deverá ser utilizado por dois ou três meses, de acordo com a indicação médica. Os curativos devem ser trocados diariamente, e os pontos são retirados por volta de 10 dias após a cirurgia.
Nos primeiros dias após a cirurgia, devem ser evitados movimentos exagerados com os braços. O ideal é que você tenha alguém para ajudá-la nas atividades básicas do dia-a-dia, como tomar banho e trocar de roupa.

Cicatrização

A cicatrização definitiva se dá por volta de 12 meses após a cirurgia, mas pode variar de acordo com o tom de pele, técnica cirúrgica e os cuidados tomados no pós-operatório.
Em geral, quanto maior a quantidade de tecido removido, maior será a cicatriz. Converse com seu médico antes, caso você tenha tendência a formar queloides.

Riscos
Embora a cirurgia de redução de mama não seja um procedimento de alto risco, ainda assim pode trazer algumas complicações, como:
Dificuldade ou impossibilidade de amamentar;
Perda da sensibilidade: algumas mulheres podem perder parcial ou totalmente a sensibilidade nas mamas. Uma maior quantidade de tecido retirado implica em maior risco de perda de sensibilidade, pois há maior lesão de nervos;
Queloides: São cicatrizes avermelhadas, irregulares (espessas) e salientes;
Necrose da aréola: embora rara, pode ocorrer em seios muito grandes, que apresentam muita pele entre a mama e o mamilo, dificultando a irrigação sanguínea do mamilo durante o procedimento cirúrgico.
Abertura dos pontos: devido ao inchaço, a mama fica muito pesada após a cirurgia, o que pode levar ao rompimento da sutura cirúrgica.
Assimetria dos seios: uma mama pode ficar com um formato ou tamanho diferente da outra.

Dicas
Para garantir o sucesso da sua cirurgia de redução de mama e evitar complicações, fique atento a essas dicas:
Como o tamanho das mamas varia com o ganho ou perda de peso, mesmo após a cirurgia pode haver aumento ou diminuição dos seios. Se você está muito acima do peso, converse com seu médico sobre a necessidade de emagrecer antes de reduzir as mamas;
Tente programar a cirurgia para o seu período de férias, já que assim limitará seus movimentos e poderá ter uma melhor cicatrização;
Para não ficar sem o sutiã cirúrgico, tenha um reserva para utilizar enquanto o outro é lavado;
Não passe cremes ou outros produtos na cicatriz sem orientação médica;
Aproveite que está sem fumar até agora para abandonar o cigarro de uma vez por todas;
Faça o mínimo possível de movimentos com os braços nos primeiros dias após a cirurgia. Movimentos bruscos ou que exijam força podem comprometer a cicatrização;
Após três semanas você pode caminhar levemente para se exercitar, mas evite fazer atividades físicas com os membros superiores antes de terem se passado dois meses após a cirurgia.

Fonte:boaforma

 

er1

 

selo

 

localização

canal4

fanpage

 

medico-consulta-com-br