Tel.: (85) 3013-8372

Cirurgias Plásticas em Fortaleza, Natal e São Luís Tel.: (85) 3013-8372

SIGA E FIQUE INFORMADO

  
  
  

Mamoplastia redutora: cirurgia plástica diminui tamanho e peso das mamas

mamoplastia-redutora

O que é a mamoplastia redutora
A mamoplastia redutora é, por definição, uma cirurgia para redução das mamas quando estas se encontram em tamanho e peso acima das características anatômicas do tórax. Ela contempla, além do tratamento reconstrutivo da mama, a preocupação estética com seios muito grandes, que podem gerar incômodo estético entre as mulheres.

Outros nomes
Mamoplastia de redução, redução dos seios, cirurgia para redução dos seios.
Tamanho e caimento das mamas
Com relação ao seu tamanho, as mamas são classificadas em quatro graus: pequena, moderada, grande e gigantomastia. Com relação ao caimento elas se classificam em quatro graus - sendo que o primeiro é normal e o último, mais grave, se caracteriza pelo posicionamento do mamilo no contorno mamário mais inferior e abaixo da prega do sulco mamário.

Indicação da mamoplastia redutora
A cirurgia também está indicada para casos de gigantomastia - em que é retirado mais de um quilo de tecido mamário de cada mama. Esse tipo de mama pode causar envergadura da coluna em função do seu peso. A cirurgia também é indicada a pacientes com mamas grandes e com algum grau de ptose que desejem reduzir seu tamanho. Outra indicação acontece quando as mulheres com mamas avantajadas passam a envergar a coluna para disfarça-las.

Idade em que pode ser realizada a mamoplastia redutora
O ideal é que o desenvolvimento da mama esteja completo - o que acontece por volta dos 17 anos - para a realização da cirurgia. Do contrário, pode ser necessário que a paciente tenha que se submeter a uma segunda cirurgia de mamoplastia redutora quando os seios estiverem maduros. A exceção acontece caso haja prejuízo funcional, como dor nas costas ou desvio da postura, ou desenvolvimento acelerado da mama - e que ela esteja formada antes dos 17 anos.

Critérios para definir a quantidade de mama a ser retirada
Os critérios utilizados são dimensão de tórax, grau de hipertrofia mamária e satisfação pessoal da paciente.

Tempo de internação após a mamoplastia redutora
A paciente vai para o quarto logo após a cirurgia e a recuperação pós-anestésica e permanece hospitalizada por um período de 24 horas.

Anestesia usada para a mamoplastia redutora
A anestesia recomendada pode ser a peridural com sedação ou a geral.
Tempo médio da cirurgia
O tempo médio de duração da cirurgia é de quatro horas, podendo ser alterado de acordo com a complexidade de cada caso.

Cuidados pré-cirúrgicos
Além do jejum de 8 horas, é importantíssimo salientar que tabagismo não combina com procedimento cirúrgico. O fumo aumenta consideravelmente o risco de necrose tecidual e trombose venosa em membros inferiores, principalmente se associado ao uso de anticoncepcionais tomados por via oral. Portanto a paciente deve cessar o fumo por um período médio de 30 dias antes da cirurgia.

Exames necessários antes da mamoplastia redutora
Além dos exames de mamografia e ultrassonografia mamária, outros exames - utilizados e preconizados como exames pré-operatórios - são importantes:

- Exames laboratoriais completos;

- Exame cardiológico e avaliação cardiológica.

Riscos da mamoplastia redutor

º Queloides: são cicatrizes hipertróficas que podem acontecer após a mamoplastia redutora, mas são raras. Dependendo de cada caso, existe um tratamento que o cirurgião pode indicar, como pomadas a base de corticoide, corticoide intra-lesional e ainda a betaterapia.

º Necrose de aréola: rara, mais comum em mamas grandes e muito caídas, em que há uma grande quantidade de pele entre a mama e o mamilo, o que pode dificultar a irrigação sanguínea mamilar durante a cirurgia.

º Hematoma: acontece uma hemorragia dentro da própria mama. A indicação, nesse caso, é a rebordagem operatória para retirada do acúmulo de sangue.

º Perda da sensibilidade: quanto maior a retirada de tecido, maior número de nervos lesados e, consequentemente, maior o risco de perda de sensibilidade. A sensibilidade pode voltar parcial ou totalmente nesses casos.

º Abertura da sutura cirúrgica: esse é o risco mais comum da mamoplastia redutora já que há uma readaptação do tecido mamário. A mama costuma ficar inchada após a cirurgia e, portanto, mais pesada, o que pode causar a chamada deiscência da ferida operatória.

Fonte:minhavida

 

er1

 

selo

 

localização

canal4

fanpage

 

medico-consulta-com-br