Tel.: (85) 3013-8372

Cirurgias Plásticas em Fortaleza, Natal e São Luís Tel.: (85) 3013-8372

SIGA E FIQUE INFORMADO

  
  
  

Mamoplastia redutora e amamentação - Sim! É possível amamentar!

Movidas pelo descontentamento com seu próprio corpo, muitas pessoas recorrem a procedimentos cirúrgicos definitivos como as cirurgias plásticas. O aumento do desejo de realizar uma cirurgia plástica ainda na adolescência se deve tanto à pressão estética da cultura de massa atual – a qual tem o bullying como um de seus diletos filhos – quanto ao relativo aumento da facilidade de acesso a tais procedimentos cirúrgicos, com clínicas e profissionais disponibilizando planos de parcelamento e outras comodidades financeiras que tornam mais viável a intervenção.
 
Muitas jovens, por motivos estéticos ou visando evitar problemas posturais graves, têm recorrido à redução das mamas ainda na adolescência ou início da juventude, procedimento também chamado de mamoplastia redutora. De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, a mamoplastia redutora visa remover o excesso de gordura, de tecido glandular e de pele, visando atingir um tamanho proporcional e aliviar o desconforto associado a seios muito grandes. Na página da instituição há, inclusive, a seguinte orientação: “é um procedimento individualizado e você deve fazê-lo para si mesma, não para satisfazer os desejos de outra pessoa ou para tentar se adaptar a qualquer tipo de imagem ideal”.
a incapacidade de amamentar após a mamoplastia redutora é uma possibilidade. Mas quantas garotas,  em pleno desabrochar da adolescência, estão preocupadas especificamente em amamentar os filhos que nem sabem ainda se terão? O interesse pela amamentação vai surgindo conforme surge a vontade de ser mãe, o que não é – e nem deve ser – uma regra.
 
O fato é que muitas mulheres que viveram mamoplastias redutoras na adolescência ou início da idade adulta se deparam, de fato, com a angústia de não saber se conseguirão amamentar. E grande parte delas, tanto em função da pouca disponibilidade de informação quanto da má orientação profissional, realmente desiste de tentar ou de persistir... E com isso, acaba perdendo a indescritível e insubstituível oportunidade de amamentar um filho, de saber o que é ter um bebê que se alimenta de você, de se saber nutriz. Entre as que chegam a iniciar a amamentação, um grande número acaba interrompendo, geralmente em função de receber pouco apoio e má orientação.
 
Em uma revisão sistemática publicada em 2010 no periódico Journal of Plastic, Reconstructive & Aesthetic Surgery, publicação oficial da Associação Britânica de Cirurgiões Plásticos, Reconstrutivos e Estéticos, os autores, movidos pela falta de consenso científico em definir a habilidade das mulheres que viveram mamoplastias redutoras em amamentar, exclusivamente, para além dos 6 meses recomendados pelas organizações internacionais de saúde, recorreram à literatura internacional para estudar a possibilidade de amamentar por esse tempo de duração. Para isso, investigaram tudo o que há publicado sobre o tema desde o ano de 1950 até 2008. Os resultados que obtiveram nessa vasta pesquisa foram muito animadores: não parece haver nenhuma diferença na capacidade de amamentar após mamoplastia redutora em comparação com mulheres que não viveram tal intervenção, entre a população geral norte-americana, durante o primeiro mês pós-parto. E, o mais importante: a pesquisa mostrou que as dificuldades elacionadas à amamentação nessas condições parecem ser mais explicadas por questões psicossociais relacionadas ao aconselhamento recebido dos profissionais de saúde do que por incapacidade física de amamentar.
 
Se toda mulher precisa ser amparada e acolhida em seu processo de amamentação, as que viveram mamoplastias redutoras precisam ainda mais. Principalmente porque – sim! – elas podem amamentar, em sua grande maioria. As técnicas cirúrgicas vêm avançando cada vez mais, a  ponto dos cirurgiões conseguirem preservar tecido glandular suficiente para a produção de leite. A crença na total incapacidade de amamentar da mulher que passa por mamoplastia redutora é mito, hoje já se sabe. Mas temos muito a avançar no apoio que damos a essas mulheres.
 
Fonte: Ana Basaglia e Fabíola Cassab
 
Marque sua consulta com o Dr. Davi Pontes : 
Telefone: (85) 4102-4444 ou 85825399

 

er1

 

selo

 

localização

canal4

fanpage

 

medico-consulta-com-br