Tel.: (85) 3013-8372

Cirurgias Plásticas em Fortaleza, Natal e São Luís Tel.: (85) 3013-8372

SIGA E FIQUE INFORMADO

  
  
  

Redução do Couro Cabeludo

Marque sua consulta com o Dr. Davi Pontes sobre a Cirurgia de Redução do Couro Cabeludo. Realizamos o procedimento em Fortaleza, Natal e São Luís.

Dúvidas sobre parcelamentos e preços (85) 4102.4444

Redução do couro cabeludo – Introdução

A redução da alopecia, ou redução do couro cabeludo, diminui cirurgicamente o tamanho de áreas calvas que resultam da calvície padrão. A calvície padrão masculina comumente progride de uma cabeleira cheia para a linha da frente (“hairline”) retraída e para um anel de cabelo em formato de ferradura, que se encontra ao redor da parte de trás da cabeça. Enquanto os folículos capilares da frente e do alto da cabeça podem ser geneticamente predispostos à perda capilar, os folículos da parte de trás e das laterais são resistentes. A redução do couro cabeludo utiliza estas regiões doadoras para eliminar uma região calva no meio do couro cabeludo ou coroa ou vertex da cabeça, ao esticar retalhos de pele resistente à calvície e com cabelo para cima, fechando-as com suturas. A redução da alopecia tornou-se menos popular com o desenvolvimento do transplante capilar, embora seja uma opção para os pacientes que desejam diminuir a área da superfície que necessita dos transplantes capilares. Em geral, os melhores candidatos para a redução do couro cabeludo são aqueles com pele elástica do couro cabeludo, uma região calva limpa na coroa e cabelo suficiente na área doadora para completar um transplante capilar após o procedimento.

Anatomia do couro cabeludo

A anatomia única do couro cabeludo torna possível a sua redução. A pele consiste numa camada de superfície chamada epiderme e a camada subjacente, derme. O cabelo se origina do folículo capilar, que são crescimentos descendentes da epiderme no interior da derme. Nervos e vasos sanguíneos no interior da derme fornecem sensação e nutrição. Uma rede de fibras de colágeno e elastina também existe na derme e fornece estrutura, sustentação e elasticidade à pele. Diferentemente de outra pele, uma camada de gordura sob a derme no couro cabeludo liga a um tecido fibroso chamado gálea aponeurótica. Uma camada de tecido celular frouxo separa a gálea de uma membrana de tecido que forma a superfície externa do crânio, chamada de pericrânio. O tecido frouxo entre a gálea e o pericrânio permite à pele do couro cabeludo deslizar em todas as direções. Muitas pessoas podem sentir o movimento de deslizamento, ao empurrar e puxar o couro cabeludo com os dedos. A redução do couro cabeludo envolve deslizar a gálea e as camadas de pele sobrepostas para cima, para substituir a região calva que foi removida cirurgicamente.

Procedimento – Remoção

A redução do couro cabeludo consiste em três passos principais: remover a região calva, movendo o couro cabeludo com cabelo e fechando a incisão. Técnicas e padrões para a remoção da região calva variam e são selecionadas de acordo com o grau de perda capilar, tamanho da região calva a ser removida, elasticidade da pele do couro cabeludo, quantidade de cabelo doador, padrão de crescimento capilar e os planos atuais e futuros para a reposição capilar. Padrões específicos tais como elipse, formato em U, formato em Y invertido, ou o conhecido como S preguiçoso estão entre os escolhidos com maior frequência. Depois de ser administrada anestesia local, as incisões são feitas para remover a extensão desejada de tecido. A remoção é feita de modo a minimizar danos aos nervos e vasos, minimizar a tensão no couro cabeludo durante a sutura, seguir os padrões naturais de orientação do cabelo, quando possível, e evitar a destruição de folículos capilares resistentes à calvície.

Procedimento – mobilização e fechamento

A quantidade de movimento do couro cabeludo determina quanto de calvície pode ser removida e, após a remoção, as regiões adjacentes são retiradas abaixo da gálea para criar retalhos que podem ser avançados. Em seguida, instrumentos cirúrgicos podem ser utilizados para esticar os retalhos, permitindo uma maior redução da alopecia. A extensão física posiciona as fibras de colágeno no interior da pele paralelamente à direção dessa extensão. Desconforto e sensação de tensão e de repuxo são comuns, mas dor extrema é rara. Assim como o procedimento para a remoção da região calva varia, os procedimentos para a sutura dos retalhos aos tecidos do couro cabeludo também variam. Em geral, esforços são feitos para minimizar a tensão na região da sutura para evitar um efeito de retração e minimizar cicatrizes nas margens suturadas. As suturas são comumente removidas após sete a dez dias.

Redução do Couro Cabeludo com Outros Procedimentos

O tecido do couro cabeludo raramente é elástico o bastante para remover completamente uma coroa calva num único procedimento, e até quatro procedimentos podem ser necessários. Você também deve examinar sua taxa de perda capilar com um profissional de reposição capilar para evitar a necessidade de múltiplos procedimentos futuros para cobrir uma região de calvície em expansão. Reduções de couro cabeludo frequentemente são combinadas com transplantes capilares para repor o cabelo na parte frontal do couro cabeludo ou para disfarçar as cicatrizes resultantes. As reduções podem ser feitas antes, durante, ou após os transplantes capilares. Em pacientes jovens, algumas vezes, os transplantes capilares são feitos, primeiro, na região frontal com um plano de realizar a redução do couro cabeludo nos próximos anos, se desejado. Reduções do couro cabeludo podem também ser feitas com expansão de tecido, na qual um dispositivo é posicionado sob o couro cabeludo com cabelo para expandir os retalhos e permitir uma mobilidade muito maior. Consulte um profissional de reposição capilar para conhecer as opções disponíveis para você e obter os melhores resultados.

 

er1

 

selo

 

localização

canal4

fanpage

 

medico-consulta-com-br